José Maurício Kimus Dias




descargar 316.94 Kb.
títuloJosé Maurício Kimus Dias
página5/10
fecha de publicación13.09.2016
tamaño316.94 Kb.
tipoDocumentos
med.se-todo.com > Documentos > Documentos
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

Pensamentos sobre a reencarnação



“Acreditando como acredito na teoria da reencarnação, vivo na esperança de que, se não nesta vida atual, em outra vida eu possa abraçar toda a humanidade em um amplexo amigo”. (Mohandas K. Gandhi)
“Nascer duas vezes não é mais surpreendente que nascer uma vez: tudo na natureza é ressurreição”. (Voltaire)
“Tenho certeza de haver estado aqui mil vezes antes, tal como sou, e espero voltar outras mil vezes”. (Goethe)
“Ó tu, moço ou jovem que te julgas abandonado pelos deuses, saiba que, se te tornares pior, irás ter com as piores almas, ou, se melhor, juntar-te-ás melhores almas, e em toda sucessão de vida e morte farás e sofrerás o que um igual pode merecidamente sofrer nas mãos de iguais. É esta a justiça dos céus”. (Platão)
“Minha vida, tal como a vivi, muitas vezes me pareceu uma história sem começo nem fim. Eu tinha a sensação de ser um fragmento histórico, um trecho ao qual faltavam o trecho anterior e o seguinte. Podia perfeitamente imaginar ter vivido em séculos precedentes, onde encontrava perguntas que ainda não era capaz de responder, que teria de nascer de novo por não ter cumprido a tarefa que me havia sido designada”. (Carl Jung)
“Talvez eu não seja rei em minha vida futura, mas tanto melhor, continuarei a viver uma vida ativa e ainda por cima, colherei menos ingratidão”. (Frederico O Grande)
“Lê-me, leitor, se encontras prazer em ler-me, porque muito raramente eu voltarei a este mundo”. (Leonardo da Vinci)
“Fica sabendo, portanto, que hei de voltar do silêncio maior... Não esqueças que voltarei para ti... Um pouco de tempo, um momento de repouso sobre o vento, e uma outra mulher me dará à luz”. (Khalil Gibran) “A alma do homem é como a águia; Vem do Céu e sobe para Céu, para depois voltar a Terra, em um eterno ir e vir”. (Goethe)
“Acredito que, quando uma pessoa morre, a Alma volta a este planeta, em nova aparência carnal. Outra mãe o faz nascer. Ele nasce com pernas mais fortes e cabeça mais leve. A velha alma se põe a caminho novamente”. (John Masefield)

“Sei que sou imortal. Sem dúvida já morri antes mil vezes. Rio-me daquilo que chamam de dissolução, e conheço a amplitude do tempo”. (Walt Whitman - Poeta Americano)
“Fica sabendo, portanto, que hei de voltar do silêncio maior... Não esqueças que voltarei para ti... Um pouco de tempo, um momento de repouso sobre o vento, e uma outra mulher me dará à luz”. (Khalil Gibran)
“Outro forte indício de que os homens sabem a maioria das coisas antes do nascimento é que, quando crianças, aprendem fatos com enorme rapidez, o que demonstra que não os estão aprendendo pela primeira vez, e sim os relembrando”. (Cícero)


“Sei que sou imortal... Sabemos que até agora exaurimos Trilhões de invernos e verões Há milhões ainda para virem, e Trilhões para lá daqueles”. (Walt Whitman - Poeta Americano)

“Morri como mineral e me tornei uma planta Morreu como uma planta e ascendi a animal Morri como animal e me tornei homem Porque hei de ter medo? Quando fui menos antes de morrer?” Jalalu Rumi (Poeta islâmico do século 13)
“Acredito que quando uma pessoa morre Sua alma regressa de novo à Terra Envolta nalgum disfarce de carne Uma outra mãe o dá à luz Com membros mais fortes e cérebro mais brilhante A velha alma prossegue a sua jornada”.(John Masefield - Poeta Britânico)

“Fazes idéia de quantas existências devemos ter passado antes mesmo de termos idéia que a vida é mais do que comer, lutar ou ter poder no rebanho? Umas milhares de vidas, John, dez mil!... Nós escolhemos o nosso próximo mundo pelo que aprendemos neste... Mas tu, John, aprendeste tanto de uma só vez que não tiveste que passar por mil existências para alcançar esta vida...” (Richard Bach - Escritor Americano)

“Ele viu todas aquelas formas e faces em mil relacionamentos um com o outro... Nenhum deles morreu, eles apenas se transformaram, continuamente renasceram e obtiveram novas faces...”. (Herman Hesse - Novelista e poeta Alemão)
“ A alma entra num domicilio temporário e sai dele renovado... passa para outras habitações porque a alma é imortal.” / “ Já não é segredo para o mundo que todas as coisas sobrevivem e não morrem, apenas se retiram temporariamente da vista para depois uma vez mais regressarem.”/ “ Nada morre; os homens fingem que morrem e agüentam funerais ridículos e obituários tristes, quando na verdade eles ali estão olhando através da janela, com excelente aparência revestida apenas de um estranho disfarce.” Ralph Waldo Emerson (Poeta e ensaísta Americano)

“ Assim como nos cruzamos por milhares de sonhos na vida presente, também a existência atual é apenas uma entre milhares de vidas para as quais entramos provenientes de uma outra vida mais real... E para a qual retornamos após a morte.” (Leo Tolstoi - Escritor Russo)
“ Se um asiático me perguntar por uma definição da Europa, serei forçado a responder-lhe do seguinte modo: É aquela parte do mundo perseguida pela incrível ilusão de que o homem foi criado do nada, e que a sua existência atual é a sua primeira entrada na vida." (Arthur Schopenhauer - Filósofo Alemão)

“ Todos os seres humanos experimentaram vidas anteriores... Quem sabe quantas formas físicas o herdeiro do céu ocupa, antes que ele possa compreender o valor daquele silêncio e solidão, cujas planícies estreladas são apenas a antecâmara dos mundos espirituais?”(Honoré Balzac - Escritor Francês)

“ Não comecei quando nasci nem quando fui concebido. Eu tenho crescido e evoluído através de incalculáveis miríades de milênios.”(Jack London - Escritor Americano)

“ Gênio é experiência. Alguns pensam que se trata de uma benção ou de um talento, mas na verdade é o fruto de uma longa experiência em muitas vidas passadas.” Henry Ford (Industrial Americano - fabricante dos automóveis Ford)


“ Estou convencido que vivemos novamente e que os vivos emergem dos que morreram e que as almas dos que morreram estão vivas.” (Sócrates Filósofo Grego)
“ Amigos são todas as almas que conhecemos em vidas passadas. Somos atraídos uns para os outros. Mesmo que os tenhamos conhecido apenas por um dia, isso não importa, pois é possível que antes nos tenhamos encontrado nalgum lado.” (George Harrison Músico do conjunto musical The Beatles )

“ Verificando que existo no mundo, acredito que de uma forma ou de outra existo para sempre.” (Benjamin Franklin -Diplomata Americano e um dos fundadores da Republica dos EUA)

“Quando o organismo físico falece a alma sobrevive. Depois toma conta de outro corpo. " (Paul Gauguin -Pintor Francês)

...“O que fazes é sair do teu corpo quando morres. ... todos fizemos isso milhares de vezes. Só porque não nos lembramos isso não significa que o não tenhamos feito." (J.D. Salinger Escritor Americano)

... “A duração de uma vida é apenas um momento na evolução eterna”. (Dr. Gabriel Delanne Cientista Francês)
... “tenho a certeza que já aqui estive anteriormente milhares de vezes e espero regressar outras milhares de vezes”.
(Goethe Poeta - dramaturgo e cientista Alemão)

“Tanto quanto me lembro, nunca deixei de me referir inconscientemente a experiências de um estado prévio de existência.” (Henry Thoreau - Escritor Americano)

“Há pessoas que acreditam que nós continuamos a vida num outro corpo depois da morte e que já vivemos antes. Eles chamam a isso reencarnação. Isto é, que vivemos antes na Terra milhares de vezes ou num outro planeta.” (James Joyce Poeta e novelista Irlandês)
“ Vamos enfrentar os fatos: no fundo, ninguém no seu estado normal, consegue visualizar a sua própria existência sem assumir que sempre viveu e que continuará a viver depois da morte.”Erik Erikson (Psicologista Americano, nascido na Alemanha de descendência Dinamarquesa)
Referências bibliográficas:
Livros do Racionalismo Cristão (Racionalismo Cristão – livro básico, A Vida fora da Matéria, a Prática do Racionalismo Cristão, Trajetória Evolutiva, A Chave da Sabedoria...)

Coleção Os Pensadores, Os Pré-socráticos, Abril Cultural, São Paulo, 1.ª edição, vol.I, agosto 1973.

Coleção Os Pensadores, Apologia de Sócrates / Platão, Nova Cultural, São Paulo, março 1999.

Coleção Os Pensadores, Defesa de Sócrates / Platão, Abril Cultural, São Paulo, 1.ª edição, vol.II, agosto 1972.

Coleção Os Pensadores, Diálogos / Platão, Nova Cultural, São Paulo, 5.ª edição, 1991.

DURANT, Will, História da Filosofia - A Vida e as Idéias dos Grandes Filósofos, São Paulo, Editora Nacional, 1.ª edição.

FRANCA S. J., Padre Leonel, Noções de História da Filosofia.

PADOVANI, Umberto e CASTAGNOLA, Luís, História da Filosofia, Edições Melhoramentos,

São Paulo, 10.ª edição, 1974.

VERGEZ, André e HUISMAN, Denis, História da Filosofia Ilustrada pelos Textos, Editora Freitas

Bastos, Rio de Janeiro, 4.ª edição, 1980.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia Grega. Petrópolis: Vozes, 7.ª edição, Vol. I, 1991.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia Grega. Petrópolis: Vozes, Vol. III, 4.ª edição, 1992.

BULFINCH, Thomas. A Idade da Fábula. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1965.

BURN, Lucilla. O Passado Lendário - Mitos Gregos. São Paulo: Moraes, 1992.

CERAM, C.W. Deuses, Túmulos e Sábios. São Paulo: Melhoramentos, 19.ª edição, 1989.

COMMELIN, P. Mitologia Grega e Romana. Rio de Janeiro: Tecnoprint.

DUMÉZIL, Georges. Ouranós - Varuna, étude de mythologie comparée indo-européenne. Paris, A.

Maisonnneuve, 1934.

DUMÉZIL, Georges. Jupiter Mars Quirinus, essai sur la conception indo-européenne de la société et

sur les origines de Rome. Paris, Gallimard, 1941.

ELIADE, Mircea. História das Crenças e das Idéias Religiosas. Tradução de Roberto Cortes de Lacerda.

Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1978, tomo I, vol. II, p. 15.

MÉNARD, René. Mitologia Greco-romana. São Paulo: Opus, Volumes I, II, III, 1991.

PRADEC CULTURAL. Programa Ativo de Desenvolvimento Cultural. São Paulo: Nova Central

Editora, Vol. II, p. 677/679.

Wantuil, Zeus & Thiesen, Francisco Allan Kardec, vol. I, II e III, Fed. Espírita Brasileira, 1984.
Sausse, Henri Biografia de Allan Kardec em Allan Kardec, Ed. Opus, São Paulo,1982.

FRANCA S. J., Padre Leonel, Noções de História da Filosofia.

Charlesworth, James H. Jesus Dentro do Judaísmo. Rio de Janeiro, Imago Editora, 1992.

Crossan, Jean Dominic. O Jesus Histórico. Imago Editora, Rio de Janeiro, 1994.

Dahoui, Albert Paul. Jesus, o Divino Mestre. Niterói, Editora Heresis, 1999.

Miranda, Hermínio C. O Evangelho de Tomé - Texto e Contexto. Niterói, Editora Arte e Cultura, 1992.

O'Grady, Joan. Heresia - O Jogo de Poder das seitas cristãs nos primeiros séculos do cristianismo. São Paulo, Editora Mercuryo, 1994.

Tricca, Maria Helena de Oliveira. - Apócrifos, Os Proscritos da Bíblia. São Paulo, editora Mercuryo, 1989.

Welburn, Andrew. As Origens do Cristianismo. São Paulo, Editora Best Seller, 1997.

Bibliografia

· Andrade, Hernani Guimarães. Morte, Renascimento, Evolução. São Paulo, 1987, Editora Pensamento

· Andrade, Hernani Guimarães. Espírito, Perispírito e Alma. São Paulo, 1988, Editora Pensamento.

· Andrade, Hernani Guimarães. Parapsicologia Experimental. São Paulo, 1976, Editora Boa Nova.

· Andrade, Hernani Guimarães. Psi Quântico, Uma Estensão dos Conceitos Quânticos e Atômicos à Idéia do Espírito. São Paulo, 1989. Editora Pensamento

· Andrade, Hernani Guimarães. Poltergeist. São Paulo, 1989, Editora Pensamento.

· Andrade, Hernani Guimarães. Reencarnação no Brasil. Matão, 1990, Casa Editora O Clarim.

· Andrade, Hernani Guimarães. A Transcomunicação Através dos Tempos. São Paulo, 1996, FE Editora.

· Almeida, João Ferreira. Bíblia Sagrada, Edição Missionária. São Paulo, 1997, Sociedade Bíblica do Brasil.

· Andréa, Jorge. Nos Alicerces do Inconsciente. Sobradinho, 1996.

· Bander, Peter. Os Espíritos Comunicam-se por gravadores. Sobradinho, 1981. EDICEL.

· Bozzano, Ernesto. Povos Primitivos e Manifestações Supranormais. São Paulo, 1997, FE Editora.

· Brune, Padre François. Os Mortos nos Falam. Sobradinho, 1991, Ed. Edicel.

· Capra, Fritjof. O Ponto de Mutação. São Paulo, 1986. Editora Cultrix.

· Charon, Jean E. O Espírito, Este Desconhecido. São Paulo, 1988, Melhoramentos.

· Eliade, Mircea O Xamanismo e as Técnicas Arcaicas do Êxtase. São Paulo, 1998, Martins Fontes.

· Evans, Richard. Construtores da Psicologia. São Paulo, 1995, Summus/EDUSP.

· Fadiman, James & Frager, Robert. Teorias da Personalidade. São Paulo, 1990, Harbra.

· Foucault, Michel. História da Loucura.Coleção Debates, São Paulo, 1991,Ed. Perspectiva

· Grof, Stanislav. Além do Cérebro - Morte, Renascimento e Transcendência em Psicoterapia. São Paulo, 1988. MacGraw-Hill.

· Guimarães, Carlos Antonio Fragoso. Percepção e Consciência - Um estudo do Psiquismo Humano. João Pessoa, 1996, Editora Persona.

· LeShan, Lawrence. De Newton à Percepção Extra-Sensorial. São Paulo, 1995, Summus Editorial.

· LeShan, Lawrence. O Médium, O Místico e o Físico. São Paulo, 1994, Summus Editorial

· LeShan, Lawrence. Realidades Alternativas. São Paulo, 1995, Summus Editorial.

· Lyra, Alberto. Parapsicologia e Inconsciente Coletivo. São Paulo, 1992, Pensamento.

· Miranda, Hermínio Corrêa. O Evangelho de Tomé - Texto e Contexto. Niterói, 1992. Arte e Cultura

· Nunes, Clóvis. Transcomunicação. Sobradinho, DF,1998, EDICEL.

· Rinaldi, Sonia. Transcomunicação Instrumental. São Paulo, 1997, FE Editora.

· Rinaldi, Sonia. Contatos Interdimensionais (Acompanha este livro um CD com exemplos básicos de vozes paranormais). São Paulo, 2000, Editora Pensamento.

· Rodrigues, Henrique. A Ciência do Espírito. Matão, 1990. Casa Editora O Clarim.

· Walsh, Roger N. & Vaugham, Frances. Além do Ego - Dimensões Transpessoais em Psicologia. São Paulo, 1991, Editora Cultrix

· Weil, Pierre. As Fronteiras da Regressão. Petrópolis, 1991, Editora Vozes.

· Weil, Pierre. A Morte da Morte. Editora Gente, 1997.

· Wilber, Ken. O Paradigma Holográfico e outros Paradoxos. São Paulo, 1992, Ed. Cultrix.

A lei da causa e efeito 1

(minha pesquisa)
A lei do retorno, a lei do Carma ou a lei da Causa e Efeito, termos usados para explicar o conceito de que devemos colher conforme a semeadura, demonstra a existência de leis disciplinadoras e coordenadoras, que devem proporcionar o resultado real conforme a natureza e intensidade de causa fundamental! Evidentemente, quem semeia cactos, jamais há de colher morangos, assim como quem movimenta uma causa funesta, também há de suceder-lhe um resultado funesto. Todas as causas ocorridas no mundo material agrupam, atritam e movimentam elétrons, átomos e moléculas de substâncias físico/químicas...

Não há quase nenhuma diferença no conceito da lei do retorno das doutrinas espiritualistas e espíritas, salvo algumas, entre elas seitas orientais que acreditam no rebaixamento espiritual, onde o espírito do homem pode, dependendo do que semeou, reencarnar, por exemplo, em um corpo de um cão ou outro animal (não é o que acreditamos e estudamos).

A palavra KARMA é originária do sânscrito, antigo idioma hindu consagrado nos tempos iniciáticos, ela precede da raiz KAR (fazer ou agir), e do sufixo MA (o efeito e a ação). Assim, o Karma significa a lei em que toda causa gera efeito semelhante, que abrange o próprio futuro dos homens, quando todos os atos e todas as causas vividas pelos espíritos em existências físicas anteriores, ficam posterior e hermeticamente vinculados aos seus efeitos semelhantes no futuro! Karma, portanto, é essencialmente a CAUSA e o EFEITO, enfim, o controle dos acontecimentos originais aos seus resultados posteriores. Sob o mecanismo de Causa e Efeito (Cármico) ocorre a retificação que equilibra, esclarece, segrega, mas fortifica, pois obriga o credor à liquidação mais breve de sua dívida pregressa, mas também o liberta para decidir quanto ao seu futuro...

A lei da causa e efeito 2

(minha pesquisa)

A Lei da Causa e Efeito não é uma lei especificamente punitiva, ela disciplina rigorosamente, mas também premia generosamente o bom pagador, comprovando o dito de que “Será dado a cada um conforme as suas obras!”. A Lei da Causa e Efeito, que deriva das Leis Universais do Grande Foco, são leis que fazem parte da pulsação do Cosmo, ela regula o livre arbítrio, e concede maior liberdade de ação e poder ao homem, quanto ele adquire mais sabedoria e se torna espiritualmente mais responsável. Assim como os pais afrouxam a liberdade dos filhos à medida que eles se tornam mais cuidadosos, experientes e adultos, a Lei da Causa e Efeito amplia o campo de ação e responsabilidade do espírito quando ele se conscientiza no curso educativo da vida.

Todos pensamentos, sentimentos e ações do espírito encarnado geram um tipo de Efeito para o futuro, ou seja, produzem uma soma de conseqüências boas ou ruins, perfeitamente vinculados aos atos praticados pelo espírito em vidas anteriores cujos efeitos serão vividos na próxima vida.

Assim quando Jesus aconselhava para que “Ame ao próximo como a ti mesmo” e, também, “Faze aos outros o que queres que te façam”, a sua intenção era realmente orientar o homem para evitar um “mau futuro” libertando-se da severidade do Efeito inflexível e da imantação nas faces dos mundos físicos.

Embora cada espírito deva renascer na vida física com o seu programa previamente esquematizado em seu mundo de origem, isso também se conjuga as Leis de Causa e Efeito do país, do povo, da raça e da família que ele ingressa. É uma conjugação perfeita de valores positivos e negativos, que não podem exorbitar das regras e dos princípios disciplinadores das Leis Universais, no esquema corretivo e indenizador das coletividades e dos indivíduos em suas inter-relações pessoais.


Lei do Amor
Quando o amor ainda está mesclado
com os impulsos do instinto e do desejo,
nós o encontramos sob o nome de PAIXÃO.

Quando o amor traduz afinidade,
carinho e respeito mútuo,
nós o chamamos de AMIZADE.

Quando o amor resvalar pelos caminhos
áridos do ciúme e da posse, ele aprisiona, e é quando encontramos o APEGO.

Quando o amor liberta,
nós o chamamos de RENÚNCIA.

Quando o amor ainda está fechado em si mesmo,
como semente escura e enclausurada,
nós o chamamos de EGOÍSMO.

Quando o amor se expande como um SOL ardente,
em benefício do semelhante, torna-se divino,
e o chamamos de CARIDADE.

O ÓDIO é apenas a
ausência do amor, assim
como a sombra é a ausência de luz, ou então...
é o amor traído e, por isso mesmo, tempestuoso.

O amor é como o sol...
está por toda a parte.
a diferença está na maneira como o refletimos.


O amor é a força que une os mundos ...
até mesmo, mundos tão diferentes,
como eu e você...
está presente nos pequenos seres...
e até nos recantos mais escondidos do coração.

Quando nos afastamos desse AMOR,
sentimos o frio e a infelicidade na alma.
Essa é a LEI da vida...
Estamos imersos nesse AMOR.
Vivemos dele...
E é para ele o destino de todos nós.

AMAI-VOS, Vós sois amor!
(Desconheço o Autor)


A liberdade

E um orador disse:

Fala-nos da Liberdade.

E ele respondeu:

Às portas da cidade,

e nos vossos lares,

dei convosco prostrados

em adoração

da vossa própria liberdade,

Como escravos que se humilham

diante dum tirano

e que o glorificam

enquanto ele os destrói.

Sim, no bosque do templo

e na sombra da cidadela

vi os mais livres que vós

usar a sua liberdade

como jugo e como algemas.

Meu coração sangrou dentro de mim;

pois não sabereis ser livres

senão quando o próprio desejo

de chegar à liberdade

se tornar para vós um arnês

e quando deixardes de falar da liberdade

como dum fim e duma conclusão.

Sereis livres de fato

não quando os vossos dias

decorrerem sem cuidados

e as vossas noites sem desejos

e sem fadigas,

Mas antes quando todas estas coisas

cercarem a vossa vida

e vos elevardes acima delas,

nus e libertos.

Mas como podereis estar acima

de vossos dias e vossas noites,

se não quebrardes as cadeias

que na alvorada do vosso uso da razão

fizeste pesar

sobre a vossa hora do meio dia?

De fato, o que chamais liberdade

é a mais forte destas cadeias,

ainda que os seus anéis

vos deslumbrem brilhando ao sol.

E tudo o que quereis afastar

para ficardes livres,

que é, senão fragmentos de vós mesmos?

Se for uma lei injusta que quereis abolir,

tal lei foi escrita pela vossa mão

na própria testa.

Não podereis apagá-la

queimando os vossos livros de leis

nem lavando as frontes dos vossos juízes,

ainda que entorneis todo o mar

em cima deles.

E se é um déspota

que quereis destronar,

vede, antes de mais, se o seu trono em vós

está bem destruído.

Porque, como pode um tirano

dominar os livres e altivos,

se não houver tirania

na liberdade deles

e vergonha na sua própria altivez?

E se é a inquietação que quereis expulsar,

tal inquietação foi escolhida por vós

e não tanto imposta de fora.

E se quereis dissipar o medo,

a sede desse medo é o vosso coração

e não a mão que vos assusta.

De fato, todas as coisas se movem

no mais íntimo do vosso ser

num constante semi-abraço,

tanto as desejadas como as temidas,

as repugnantes e as tentadoras,

as que procurais

como aquelas de que fugis.

Tais coisas movem-se dentro de vós

como luzes e sombras

em pares estreitamente unidos.

E quando a sombra

se debilita e desaparece,

a luz que demora,

torna-se sombra duma outra luz.

E assim a vossa liberdade,

desembaraçada de estorvos,

Torna-se ela próprio embaraço

duma liberdade maior.


A marca que você deixa nas pessoas
Quando eu era criança, bem novinho, meu pai comprou o primeiro telefone da nossa vizinhança. Eu ainda me lembro daquele aparelho preto e brilhante que ficava na cômoda da sala. Eu era muito pequeno para alcançar o telefone, mas ficava ouvindo fascinado enquanto minha mãe falava com alguém.

Então, um dia eu descobri que dentro daquele objeto maravilhoso morava uma pessoa legal. O nome dela era: "Uma informação, por favor" e não havia nada que ela não soubesse. "Uma informação, por favor" poderia fornecer qualquer número de telefone e até a hora certa. Minha primeira experiência pessoal com esse gênio-na-garrafa veio num dia em que minha mãe estava fora, na casa de um vizinho. Eu estava na garagem mexendo na caixa de ferramentas quando bati em meu dedo com um martelo. A dor era terrível mas não havia motivo para chorar, uma vez que não tinha ninguém em casa para me oferecer a sua simpatia. Eu andava pela casa, chupando o dedo dolorido até que pensei: O telefone! Rapidamente fui até o porão, peguei uma pequena escada que coloquei em frente a cômoda da sala. Subi na escada, tirei o fone do gancho e segurei contra o ouvido. Alguém atendeu e eu disse:

 Uma informação, por favor. Ouvi uns dois ou três cliques e uma voz suave e nítida falou em meu ouvido:

 Informações.

 Eu machuquei meu dedo..., disse, e as lágrimas vieram facilmente, agora que eu tinha audiência.

 A sua mãe não esta em casa?", ela perguntou.

 Não tem ninguém aqui...", eu soluçava.

 Está sangrando?

 Não", respondi. Eu machuquei o dedo com o martelo, mas tá doendo...

 Você consegue abrir o congelador?", ela perguntou. Eu respondi que sim. -Então pegue um cubo de gelo e passe no seu dedo, disse a voz.

Depois daquele dia, eu ligava para "Uma informação, por favor" por qualquer motivo. Ela me ajudou com as minhas dúvidas de geografia e me ensinou onde ficava a Philadelphia. Ela me ajudou com os exercícios de matemática. Ela me ensinou que o pequeno esquilo que eu trouxe do bosque deveria comer nozes e frutinhas. Então, um dia, Petey, meu canário, morreu. Eu liguei para "Uma informação, por favor" e contei o ocorrido. Ela escutou e começou a falar aquelas coisas que se dizem para uma criança que está crescendo.

Mas eu estava inconsolável. Eu perguntava:

 Por que é que os passarinhos cantam tão lindamente e trazem tanta alegria pra gente para, no fim, acabar como um monte de penas no fundo de uma gaiola?

Ela deve ter compreendido a minha preocupação, porque acrescentou mansamente:

 Paul, sempre lembre que existem outros mundos onde a gente pode cantar também... De alguma maneira, depois disso eu me senti melhor. No outro dia, lá estava eu de novo. "Informações.", disse a voz já tão familiar. "Você sabe como se escreve 'exceção'?" Tudo isso aconteceu na minha cidade natal ao norte do Pacífico. Quando eu tinha 9 anos, nós nos mudamos para Boston. Eu sentia muita falta da minha amiga. "Uma informação, por favor" pertencia aquele velho aparelho telefônico preto e eu não sentia nenhuma atração pelo nosso novo aparelho telefônico branquinho que ficava na nova cômoda na nova sala

Conforme eu crescia, as lembranças daquelas conversas infantis nunca saiam da minha memória. Freqüentemente, em momentos de dúvida ou perplexidade, eu tentava recuperar o sentimento calmo de segurança que eu tinha naquele tempo. Hoje eu entendo como ela era paciente, compreensiva e gentil ao perder tempo atendendo as ligações de um menininho

Alguns anos depois, quando estava indo para a faculdade, meu avião teve uma escala em Seattle. Eu teria mais ou menos meia hora entre os dois vôos. Falei ao telefone com minha irmã, que morava lá, por 15 minutos. Então, sem nem mesmo sentir que estava fazendo isso, disquei o número da operadora daquela minha cidade natal e pedi: "Uma informação, por favor." Como num milagre, eu ouvi a mesma voz doce e clara que conhecia tão bem, dizendo: Informações." Eu não tinha planejado isso, mas me peguei perguntando: "Você sabe como se escreve 'exceção'?" Houve uma longa pausa. Então, veio uma resposta suave:

 Eu acho que o seu dedo já melhorou, Paul. Eu ri.

 Então, é você mesma!", eu disse. Você não imagina como era importante para mim naquele tempo.

 Eu imagino", ela disse. E você não sabe o quanto significavam para mim aquelas ligações. Eu não tenho filhos e ficava esperando todos os dias que você ligasse.

Eu contei para ela o quanto pensei nela todos esses anos e perguntei se poderia visitá-la quando fosse encontrar a minha irmã. "É claro!", ela respondeu. "Venha até aqui e chame a Sally."

Três meses depois eu fui a Seattle visitar minha irmã. Quando liguei, uma voz diferente respondeu :

 Informações." Eu pedi para chamar a Sally.

 Você é amigo dela?, a voz perguntou.

 Sou, um velho amigo. O meu nome é Paul.

 Eu sinto muito, mas a Sally estava trabalhando aqui apenas meio período porque estava doente. Infelizmente, ela morreu há cinco semanas.

Antes que eu pudesse desligar, a voz perguntou:

 Espere um pouco. Você disse que o seu nome é Paul?

 Sim.

 A Sally deixou uma mensagem para você. Ela escreveu e pediu para eu guardar caso você ligasse. Eu vou ler pra você. A mensagem dizia: "Diga a ele que eu ainda acredito que existem outros mundos onde a gente pode cantar também. Ele vai entender." Eu agradeci e desliguei. Eu entendi... NUNCA SUBESTIME A "MARCA" QUE VOCÊ DEIXA NAS PESSOAS.

Amigo: Com essa parábola podemos perceber o quanto somos importantes para as pessoas. Um simples gesto como um oi, bom dia ou um sorriso podem fazer diferença. Muitas vezes, quando estamos com o astral em baixa ou passando por dificuldades gostaríamos de contar com uma "atendente Informações" para que pudessem nos ouvir, nos orientar, nos aconselhar, enfim, 'desabafar' o que estamos sentindo. Quando precisar de alguma coisa meu amigo, pode contar comigo.

(Autor desconhecido)


A melhor decisão...
Quando você sempre tem medo de tomar uma decisão errada, você
está constantemente antecipando o fracasso. Atrasar ou evitar
uma decisão por causa dos problemas que podem ocorrer coloca
você numa posição negativa. Quando controlado pelo medo, você
focaliza somente o lado negativo. Quando evita tomar uma
decisão, você se transforma em observador passivo e vítima.

Sucesso e conquistas surgem da ação. Para agir, você deve
primeiro decidir-se a agir. Não deixe que o medo de tomar a
decisão errada o obrigue a não tomar decisão alguma.

É bem provável que você não tome uma decisão perfeita. Em vez
da perfeição, procure tomar a melhor decisão possível,
baseando-se na informações disponíveis no momento e na
direção que você mesmo havia pré-estabelecido.

Vamos lá! Tome a decisão. Aja. Se acontecer de tomar uma
decisão errada, você tem todas as condições de entender isso
e fazer as correções necessárias. Torne-se um participante
positivamente ativo no seu próprio futuro. Decida o que tem
que ser feito - e faça-o.
(Autor desconhecido)

A mente – os sonhos

É infantil dizer a um obcecado: “Não pense mais em sua obsessão”.Em muitos casos estamos em presença de uma pessoa incapaz de dirigir seus pensamentos. É ai que a auto-sugestão intervém. Como diz Emile Coué: “Não é à vontade a primeira faculdade do homem, mas a imaginação. Quando à vontade e a imaginação se defrontam, é sempre a imaginação a vencedora, sem nenhuma exceção”.A auto-sugestão é uma flutuação do espírito, uma abertura passiva e calma, que permite sem esforço a entrada das idéias e das sensações. Os verdadeiros filósofos e cientistas são peritos na arte de nos mostrar o absurdo das guerras ou o ridículo da condição humana. Eles nos dizem esquematicamente: - Visto do infinito, você é bem menos que uma cabeça de alfinete. Restabeleça as coisas em suas justas proporções; Não basta demonstrar magistralmente o absurdo de nossas preocupações e a futilidade de nossos males, é preciso dar-lhes uma solução. Onde o filósofo e o cientista malogram, a sugestão tem êxito.
A explicação dos fenômenos ditos paranormais ou extraordinários daria a chave do Universo, porém é pedir demais e seriamos deuses. Porém é no estudo científico desses fenômenos que talvez se encontre a salvação da humanidade. (Maurice Maeterlinck);
O Homem é o que pensa. (E. Coué);
A virtude é um saber. O mal é a ignorância. Ninguém é maldoso voluntariamente. (Sócrates);
Os processos empregados pelos curandeiros conduzem todos à auto-sugestão, quer dizer que esses processos, quaisquer que sejam: palavras, encampações, gestos, cenários, têm como efeito, provocar nos doentes a auto-sugestão e a cura. (E. Coué);
Toda doença não é simples, mas dupla (a menos que seja exclusivamente moral). Com efeito, sobre toda doença física vem se enxertar uma doença moral. (E. Coué);
Não esqueça nunca que o que você sabe nada é ao lado do que não sabe. E o que você não sabe é ao lado daquilo que jamais saberá. (Vauvenargues);
A realização mais transcendental do homem seria a conquista de seu próprio cérebro. (Santiago Ramom y Cajal);
Fazemos a distinção entre o vivo e o morto, entre os corpos animados e inanimados. É este um ponto de vista primitivo. O que parece morto, morto como uma pedra, está na realidade em movimento eterno. Habituamo-nos simplesmente a julgar pelas as aparências externas, pelas impressões falaciosas transmitidas por nossos sentidos. Vai nos ser preciso aprender a descrever as coisas por vias novas e melhores. (Max Born – Prêmio Nobel de Física);
Para nós, físicos crentes, a distinção entre passado, presente e futuro só é ilusão, uma ilusão, aliás, tenaz. (Einstein);
Há sentidos demais que não estão acordados. (Antoine de Saint-Exupéry);
Se as portas da percepção fossem desatoladas, todas as coisas apareceriam ao homem tais quais são. (William Blake);
A material não mais existe. Há somente o espírito. (Teilhard de Chardin);
Retirado do livro: Adormecer pela Hipnose e Esclarecer pela Sofrologia de J. P. Guynnaud.


1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

similar:

José Maurício Kimus Dias iconMauricio vargas r. Bioquímica

José Maurício Kimus Dias iconMemorias mauricio castillo sánchez

José Maurício Kimus Dias iconEscuela Preparatoria: licenciado Mauricio Magdaleno

José Maurício Kimus Dias iconMauricio burgos altamiranda coordinador de Calidad Educativa

José Maurício Kimus Dias iconHistoria de la Filosofía/ José Luis Herrera/ ies josé Hierro

José Maurício Kimus Dias icon“YAÑes mariano mauricio c/ metalurgia de frigorificos s. R. L. Y...

José Maurício Kimus Dias iconCorte constitucional y emancipacion social en colombia por Rodrigo...

José Maurício Kimus Dias iconMauricio Aguirre Serena Miguel Ángel Barradas Gerón Nadia Medina Muro Irma Patricia Mota Flores

José Maurício Kimus Dias iconVersión de Teresa Albero, Jesús Alborés, Ana Balbás, José Antonio...

José Maurício Kimus Dias iconPatrick nick arango mejia, hernandez ruiz mauricio, pedraza vargas...


Medicina



Todos los derechos reservados. Copyright © 2015
contactos
med.se-todo.com