Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais




descargar 262.07 Kb.
títuloSinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais
página1/13
fecha de publicación13.09.2016
tamaño262.07 Kb.
tipoDocumentos
med.se-todo.com > Ley > Documentos
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13

Vestibular1 – A melhor ajuda ao vestibulando na Internet

Acesse Agora ! www.vestibular1.com.br




SINOPSE DE OBRAS LITERÁRIAS II




O garatuja: crônica dos tempos coloniais


Alencar, José de

O romance é ambientado na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, em meados do século XVII, integrando uma trilogia publicada em 1873, com o título de Alfarrábios.

Ivo, personagem principal, nasceu de um relacionamento conjugal e é enjeitado pela sociedade. Vive uma história de amor inocente, escondida dos pais da moça, e participa ativamente das peripécias políticas nas constantes intrigas entre a Coroa e a Igreja, as principais instituições da época. Ele, porém, não é uma pessoa comum. Possui grande talento para o desenho, daí o apelido de "Garatuja". Suas caricaturas, rabiscadas nos muros da cidade, são um dos elementos que conduzem o enredo. Nenhum outro personagem é capaz de compreendê-lo e até comentam que ele tem parte com o diabo, fato que acaba contribuindo para sua expulsão do colégio dos jesuítas.

O guarani


Alencar, José de

A branca Ceci se apaixona pelo índio Peri, numa tragédia típica da época das Bandeiras. O enredo, do mais famoso livro de Alencar, já serviu para movimentar filmes, óperas e novelas.

Iracema: a lenda do Ceará


Alencar, José de

Lenda cearense que conta a história da Tabajara Iracema e do colonizador Martim, de cujo amor nasce Moacir. Relato poético sobre a vida dos indígenas e dos homens brancos.
Lucíola

Alencar, José de Alencar

A linda Lúcia não se enquadrava nos preconceitos dos sonhos de Paulo. No Rio de Janeiro de cem anos atrás, mundano, frívolo, materialista, Lúcia era a mundana, a frívola, a materialista. E, por amor, os sonhos de Paulo tiveram de se adaptar à realidade de Lucíola. Aos poucos, essa realidade revelou-se muito, muito melhor do que os sonhos.

Senhora


Alencar, José de

Aurélia, uma personagem feminina universal. Criada há mais de cem anos, tornou-se real, adquirindo uma existência mais sólida do que se tivesse existido em carne e osso. Em carne e sangue. Em carne e charme. Em carne e verdade. Nesse romance, José de Alencar parecia antever o debate feminista do século XX, ao criar uma personagem jovem, mas forte, que procura impor sua condição de mulher no mundo masculino, onde todas as decisões são tomadas pelos homens. E pelo dinheiro.

O sertanejo


Alencar, José de

Os dias e os trabalhos do vaqueiro cearense Arnaldo traçam um painel do Nordeste brasileiro no último romance publicado em vida por José de Alencar.

Til


Alencar, José de

O desejo de vingança do capanga profissional João Fera e a vida rural do Brasil Imperial, são os temas desse romance de aventura do autor cearense.

Ubirajara


Alencar, José de

A continuação de Iracema conta as guerras indígenas no Nordeste do Brasil antes do Descobrimento.

Mergulho no fim


Alge, Nilo

Marcos é convidado para jantar na casa de seu amigo Jorge. Entre os presentes está um velho professor de Biologia, ainda dos tempos em que eram estudantes. Os convidados passam a suspeitar das pesquisas feitas pelo cientista e a temer pelo destino da humanidade, após a divulgação do que ele vem trazendo em segredo, segredo este somente compartilhado por sua jovem assistente.

As viagens de Marco Polo


Almeida, Lúcia Machado

O livro baseia-se nas viagens e aventuras do célebre navegador italiano da Idade Média, narrado de forma mais viva pela autora e tendo Marco Polo como herói, de forma a tornar a história mais acessível e divertida aos adolescentes.

Memórias de um Sargento de Milícias


Almeida, Manoel Antônio de

Crônica semi-histórica de amores e aventuras no Rio de Janeiro de Dom João VI. O livro retrata a sociedade brasileira no início do século XIX, por meio das peripécias do vivaldino Leonardo.

ABC de Castro Alves


Amado, Jorge

A biografia sentimental do poeta baiano Antônio Castro Alves serve para que o autor se coloque como um de seus discípulos e transforma o poeta romântico em um profeta revolucionário.

  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13

similar:

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconLa protección que otorga el ordenamiento jurídico respecto de las...

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconLiteratura Lectura de un mínimo de seis obras literarias de diferentes...

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconCompetencia para la Autonomía y la Iniciativa Personal (aip) · Generar...

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconCompetencia para la Autonomía y la Iniciativa Personal (aip) · Generar...

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconCompetencia para la Autonomía y la Iniciativa Personal (aip) · Generar...

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconCompetencia para la Autonomía y la Iniciativa Personal (aip) Generar...

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconLiteratura Brasileira: tempos, leitores e leituras volume único

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconRecursos expresivos (figuras literarias, retóricas o estilísticas)

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais icon3. Crónica de un conflicto radiado y de propaganda

Sinopse de obras literárias II o garatuja: crônica dos tempos coloniais iconPrograma tit@ crónica nayibe bonilla m


Medicina



Todos los derechos reservados. Copyright © 2015
contactos
med.se-todo.com